Investir em Portugal: conheça as melhores opções do mercado

Devido ao desenvolvimento da economia do país, muitas pessoas buscam informações sobre como investir em Portugal.

Isso não é uma grande surpresa. Afinal, o país passa por um momento de recuperação da crise, ideal para investidores que desejam aumentar seus rendimentos.

São muitos os setores em plena expansão em Portugal. Por exemplo, o mercado imobiliário, tecnologia e turismo.

Com casas históricas e propriedades modernas, incentivo à inovação e belas paisagens, praias e clima ameno, o país se consagra como um dos mais promissores da Europa.

Se você deseja investir em Portugal, chegou ao lugar certo. No texto a seguir, saiba alguns fatos sobre a economia, melhores opções de investimento e outras informações que podem ser úteis.

Por que investir em Portugal?

Table of Contents

Existem muitas razões pelas quais tantas pessoas voltam seus olhos aos investimentos em Portugal.

Um dos principais é a segurança. De acordo com o Global Peace Index 2020 (Statisa), Portugal é o terceiro país mais seguro do mundo, atrás apenas da Islândia e Nova Zelândia.

Graças a isso, atrai um grande número de turistas e estrangeiros que desejam se mudar, aquecendo ainda mais a economia.

O Instituto Nacional de Estatística (INE, 2019) confirma essa tendência. Segundo a pesquisa Estatísticas de Turismo 2019, as chegadas a Portugal de turistas não residentes cresceram 7,9%, chegando ao número de 24,6 milhões.

Outro segmento que cresceu foi o mercado imobiliário. Com os incentivos fiscais do governo, o setor se expandiu gradualmente, registrando recordes nos últimos anos. O programa Golden Visa Portugal, por exemplo, bateu recorde em Julho de 2019, atingindo € 98.000.000 de investimentos em apenas quatro semanas.

A remuneração bruta mensal por trabalhador também aumentou em 2,8%. Como consequência, um número de pessoas migrou para o país, principalmente brasileiros.

Para se ter uma ideia, o Brasil lidera o ranking de imigração para Portugal. Atualmente, são 151.304 vivendo no país, um crescimento de 45,5% em relação ao ano anterior. De todas as autorizações de residência concedidas para estrangeiros, 37,8% foram para brasileiros (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, 2020).

Com relação à facilidade de fazer negócios, Portugal ocupa a 39ª posição (Banco Mundial, 2020), na frente de países como Holanda, Bélgica e Polônia. Não a toa, de acordo com a Forbes (2018), se tornou um dos melhores países para se investir.

Outro motivo alegado pelos investidores é a localização. Portugal possui um posicionamento estratégico, o que estimula as atividades com outros continentes. Inclusive, é o país mais europeu mais próximo aos Estados Unidos e ao Canadá.

As rotas marítimas e aéreas são considerados pontos-chave para a interação com a Europa. Possui apenas 1 hora de diferença ao fuso horário central europeu e 3 horas em relação a São Paulo.

Em um nível interno, o país é reconhecidamente um dos melhores do globo com relação à estrutura de estradas e ferrovias.

Soma-se a isso os altos índices de educação e acesso à saúde, duas das características mais notáveis para a qualidade de vida.

Vale ressaltar que Portugal é um estado-membro da União Europeia desde 1986, das Nações Unidas e OCDE, além de ser considerado por especialistas um dos países com maior estabilidade política na atualidade.

Todos esses dados comprovam o óbvio: Portugal tornou-se um oásis para investidores. Se as expectativas se cumprirem, haverá um crescimento contínuo no país nos próximos anos.

A economia em Portugal

Assim como na maior parte dos países do mundo, a economia em Portugal sofreu mudanças graças ao início da pandemia de COVID-19 (coronavírus) em 2020.

Para se ter uma ideia, a Comissão Europeia (CE) prevê que a economia europeia sofrerá uma retração de até 7,7%, mas com recuperação de 6,3% em 2021.

No entanto, Portugal aparece como uma das nações menos afetadas, com uma contração inferior à média europeia. O que é surpreendente, visto que o turismo, uma das bases econômicas, foi um dos setores mais afetados com a pandemia.

Abaixo, confira uma tabela com alguns dos principais informações e indicadores econômicos de Portugal:

A relação entre Portugal e Brasil

Com a situação política e econômica instável em seu próprio país, cada vez mais brasileiros fazem suas malas para Portugal.

Após a queda por seis anos seguidos, o número de brasileiros com visto de residência subiu 5,1% em 2017, e a tendência é que os valores continuem a crescer. Por conta disso, é a maior comunidade estrangeira no país, mesmo sem considerar pessoas com dupla cidadania.

Abertura portuguesa para investidores estrangeiros

Portugal é um país que recebe investidores de braços abertos. Existem diversos incentivos para tal, como por exemplo o programa Golden Visa.

Nesse caso, os investidores recebem a autorização de residência ao aplicar em alguns setores econômicos no país, como o mercado imobiliário, abertura de empresa, transferência de capital, pesquisa científica, produção artística e conservação de patrimônio cultural.

Outro fator que contribui para tal é a facilidade de abrir empresas em Portugal. Com alguns simples passos, é possível ter o seu próprio negócio.

Para o brasileiros que ainda não possuem o Golden Visa, é necessário solicitar o visto D2. O pedido pode ser realizado pessoalmente ou pelos Correios através dos consulados portugueses no Brasil, em São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul.

Esse visto é válido por 4 meses, então é necessário solicitar a autorização de residência ao serviço de fronteiras.

No entanto, muitas vezes esses processos são muito complexos. O ideal, nesse caso, é contar com uma empresa especializada na obtenção de vistos e investimentos, como a Global Citizen Solutions.

Comércio internacional em Portugal

Nos últimos 5 anos, as exportações e importações no país registraram brando crescimento. No primeiro caso, o aumento foi de 4,2%. Na as importações subiram 2,8%.

Investimento em Portugal para estrangeiros

Com o objetivo de atrair investidores e profissionais, em 2009 Portugal implementou o Regime Tributário de Residente Não Habitual (NHR).

Os mais de 10 mil investidores que já se beneficiam desse sistema contam com vantagens como benefícios fiscais por um período de 10 anos, o que inclui redução e isenção de várias taxas.

Além disso, não é necessário viver no país para mantê-lo, o que é uma ótima opção para estrangeiros, inclusive os brasileiros.

Regime Tributário de Residente Não Habitual

O Regime Tributário de Residente Não Habitual concede vantagens fiscais para quem quer se mudar para Portugal (e não residiu no país nos últimos 5 anos), mas possui rendimentos externos.

Ou seja, apresenta uma cobrança de impostos à parte, diferente daqueles cobrados tradicionalmente.

Em suma, há dois benefícios principais:

  • Não sofre a bitributação de renda em Portugal pelo período de 10 anos
  • Faixa única de Imposto de Renda da Pessoa Singular (IRS) de 20% pelo período de 10 anos.

Em outras palavras, a primeira vantagem se refere às transações já foram tributadas no Brasil, elas não serão realizadas novamente no país lusitano.

Já a segunda toma conta de pessoas que já residem e trabalham em Portugal, cuja retenção de IRS é inferior ao trabalhador português em regime fiscal regular.  Esse sistema é válido somente para as profissões indicadas abaixo:

  • Diretor geral e gestor executivo de empresas; diretor de serviços administrativos e comerciais; diretor de produção e serviços especializados; diretor de hotelaria, restauração, comércio e outros serviços; especialistas das ciências físicas, matemáticas, engenharias técnicas e afins; médico; dentista e estomatologista; professor do ensino universitário e superior, especialista em tecnologia da informação e comunicação; autor, jornalista e linguista; artista criativo e das artes do espetáculo; técnico e profissões das ciências e engenharia de nível intermediário; técnico da tecnologia de informação e comunicação; agricultor e trabalhador qualificado da agricultura e produção animal; trabalhador qualificado da floresta, pesca e caça; trabalhador qualificado da indústria, construção e artífices, metalurgia, metalomecânica, transformação de alimentos, madeira, vestuário, artesanato, impressão, instrumentos de precisão, joalheiro, artesão, trabalhador em eletricidade e eletrônica; operador de instalação e máquinas e trabalhador de montagem; administrador e gestor de empresas de investimento produtivo.

Em 2020, as profissões de auditor, consultor fiscal, psicólogo e arqueólogo foram removidos do NHR.

Investir em Portugal: afinal, quais são as melhores opções?

Sabemos que Portugal não passa nem perto de ser um país do tamanho do Brasil. No entanto, o país compartilha diversas características positivas, como o idioma, a hospitalidade do povo e as belas paisagens.

Em aspectos políticos, econômicos e sociais, o país está à frente do Brasil. Enquanto o cidadão brasileiro se preocupa cada vez mais com índices de desemprego, criminalidade, educação, saúde e indicadores de economia, Portugal ganha estabilidade em todos esses setores.

Por conta disso, o número de investidores que desejam investir em Portugal é cada vez maior. Se você é um deles, a seguir conheça as melhores opções de investimento em Portugal para aplicar o seu dinheiro e conseguir rendimentos sólidos.

Imóveis

Após a recuperação da crise, o mercado imobiliário português se aqueceu. Com isso, investidores do mundo inteiro voltaram seus olhos ao país lusitano.

A possibilidade de obter bons rendimentos, gerar ganhos regulares e valorizar as propriedades adquiridas são fatores que contribuem para esse desenvolvimento.

Hoje, Portugal é um dos principais alvos de investidores brasileiros, chineses e demais países da Europa.

Isso se deve, em parte, pela alta demanda. Portugal tem um dos menores custos de vida entre os países europeus. Além disso, tem um mercado bastante dinâmico, com propriedades antigas que necessitam de reformas, casarões históricos e casas e apartamentos modernos.

A versatilidade de localização é outro ponto forte. Centros urbanos como Lisboa e Porto oferecem excelentes opções, mas há também áreas mais tranquilas como Setúbal e Algarve.

Comprar imóveis em Portugal pode gerar bons rendimentos em aluguéis, sejam eles de curto prazo (através de aplicativos como o Airbnb) ou de longo prazo.

Outro fator que contribui para o progresso do mercado imobiliário local é a possibilidade de conseguir o Golden Visa com investimentos a partir de € 280.000.

Turismo

Por suas belas paisagens, praias, gastronomia e cultura única, Portugal é um dos destinos favoritos para turistas de todos os lugares.

Em 2019, Portugal recebeu uma série de prêmios, como o World’s Leading Destination e Europe’s Leading Destination e o Melhor Organismo Oficial de Turismo da Europa. Algarve foi aclamado como o melhor destino de praia da Europa, enquanto Ilha da Madeira recebeu o mesmo para ilhas.

Em 2019, o setor foi responsável por 8,7% do PIB. No entanto, a pandemia global que assolou o mundo em 2020 trouxe más notícias para diversos países. E Portugal não ficou de fora.

O governo português se mostra otimista com a recuperação nos anos que se seguem, estipulando a volta aos níveis regulares entre um a dois anos após o evento.

Grande parte se deve ao carimbo Safe Travels, atribuído pelo Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC). Portugal foi o primeiro país da Europa a recebê-lo, o que classifica a nação como segura para receber visitantes após a pandemia.

Por conta disso, investir em turismo em Portugal pode ser uma boa ideia. Em 2019, foram mais de 27 milhões de turistas que visitaram o país, número que deve ser retomado e até ultrapassado assim que o mundo se recuperar do baque.

Os setores mais buscados são hospedagem, passeios turísticos e outros serviços.

Tecnologia e Startups

Portugal também é visto com bons olhos para investimentos em tecnologia. Inclusive, Lisboa é a sede do Web Summit, maior conferência do setor na Europa.

O ramo das fintechs, por exemplo, é um dos que mais se desenvolvem. A união das instituições financeiras e a tecnologia foi muito bem recebida no país, que se tornou um dos pólos tecnológicos na Europa.

Outro setor em pleno desenvolvimento são as edtechs, que aliam o ramo da educação e tecnologia em prol do desenvolvimento de soluções.

Segmentos como realidade virtual aumentada, impressão 3D, desenvolvimento de aplicativos, hardware e software, agronegócio, saúde e gestão hospitalar, mobilidade urbana, tecnologias vestíveis, sustentabilidade, drones e gestão de cidades (smartcities) também são boas opções.

Na realidade, há espaço para os mais variados ramos da Internet das Coisas (IoT ou Internet of Things).

Por conta da abertura à inovação, é um berço de diversas startups e já conta com três unicórnios. Tanto a criação quanto o investimento em empresas já existentes são opções válidas para investidores.

Portugal atrai muita mão de obra qualificada, além de apresentar salários significativamente mais baixos, o que culmina em vantagens para empresas embrionárias.

Sustentabilidade

De acordo com o Sustainable Development Report (ONU, 2019), Portugal é o 26º país que mais se preocupa com o desenvolvimento sustentável.

Entre todos os objetivos avaliados, destacou-se principalmente no quesito “energias renováveis e acessíveis”. Isso, claro, faz com que o setor seja uma boa opção para investidores.

Algumas das principais fontes são as estações de energia eólica e painéis solares, oportunidades excelentes para quem deseja ganhar dinheiro, estabelecer uma boa imagem com o público e ajudar o planeta.

No entanto, existem outros temas nos quais prevê-se crescimento econômico, como saúde e educação de qualidade, erradicação da fome e pobreza, igualdade de gênero, água potável e saneamento e proteção da vida marinha.

Alimentação

A gastronomia portuguesa é famosa ao redor do mundo. Como consequência, o setor alimentício é um dos mais quentes na atualidade.

Um dos pontos que mais agradam aos cidadãos portugueses e estrangeiros diz respeito à alimentação saudável e consciente, o que é alinhado à questão da sustentabilidade.

Os alimentos veganos, orgânicos e de produção local são muito valorizados, então podem ser um bom segmento para investir em Portugal.

Comércio eletrônico

Outro setor em plena expansão em Portugal é o comércio eletrônico, também conhecido como ecommerce.

Como Portugal é um dos países europeus que melhor lida com o desenvolvimento tecnológico, são muitas as soluções desenvolvidas para facilitar ainda mais as negociações pela internet.

O governo português não é tão exigente quanto outros países, o que faz com que os custos sejam reduzidos. Em outras palavras, não é preciso ter grandes espaços para estocagem ou muitos funcionários para operar uma loja virtual.

Esse segmento recebeu ainda mais atenção após o surto de coronavírus. Assim como o restante do globo, Portugal precisou se adaptar a uma diferente realidade. A demanda por esse tipo de serviço aumentou muito e, consequentemente, o desenvolvimento da área.

Além disso, como localiza-se em uma posição estratégica, é um ótimo ponto para negociar com outros países europeus, já que é possível realizar entregas para boa parte dos países.

Franquias

No Brasil, muitos investidores reconhecem as franquias como uma boa oportunidade. Em Portugal não é diferente.

Ao avaliar friamente o mercado, é possível encontrar ótimas possibilidades para investimento. E o melhor: com baixo risco. Essa é uma boa ideia, principalmente se considerarmos o fato de que já há uma estrutura experimentada e um modelo de negócio repetível e escalável.

A quantidade de opções é outro diferencial. Restaurantes, escolas de idiomas, clínicas estéticas, perfumaria e joias são apenas alguns dos exemplos para os quais há grande demanda.

Criptomoedas

As criptomoedas são vistas como qualquer outra moeda em Portugal. Isso quer dizer que não são reguladas pelo Banco de Portugal ou qualquer outra organização do sistema financeiro do país.

Por isso, o investimento em empresas que utilizam as moedas virtuais como principal fonte de renda podem ser a menina dos olhos de ouro para investidores. Exchanges e serviços de custódia atuam em Portugal sem interferências fiscais.

Soma-se isso ao crescimento do setor em um nível continental e temos uma ótima oportunidade para gerar ganhos e rendimentos a curto e a longo prazo.

Fundos de Investimento em Portugal

Os fundos de investimento (ou fundos de capital privado) funcionam como uma carteira de ativos financeiros. Ou seja, trata-se da compra de cotas para a captação de recursos.

Essa é uma boa opção para quem deseja obter rendimentos fixos e variáveis, dependendo do perfil do investidor.

Em 2018, o parlamento português aprovou uma lei que torna os fundos de capital de risco um investimento qualificado para solicitar o Golden Visa Portugal. Isso quer dizer que, ao optar por essa alternativa, é possível adquirir a residência e, posteriormente, a cidadania portuguesa.

Investir na bolsa em Portugal

Dando ainda maior versatilidade às possibilidades de investimento em Portugal, é possível considerar a bolsa de valores.

O mercado de ações gera inúmeros oportunidades tanto para investidores agressivos quanto conservadores, abrindo um leque de atividades que podem trazer bons rendimentos.

Como investir em Portugal?

Como visto, Portugal é um local com muitas oportunidades para investidores. O governo faz questão de incentivar essa prática, simplificando processos e fornecendo as melhores condições para investir.

O sistema local não distingue a origem nacional dos investimentos, o que permite que seja possível investir em todos os setores econômicos abertos a empresas privadas.

Legislação, mercado de trabalho, sistema tributário, estrutura, força de trabalho… Tudo converge para atrair a atenção para bons investimentos no país.

Mas, afinal, como investir em Portugal? A seguir, veja algumas dicas essenciais para realizar a sua aplicação.

Considere o seu perfil de investidor

Existem diferentes perfis de investidor. Isso se relaciona a diferentes aspectos de cada um, e não há necessariamente um melhor que o outro.

Ele é baseado em três requisitos básicos:

  • Segurança
  • Liquidez
  • e Rentabilidade.

É importante compreender qual é o seu porque existem diversos caminhos que podem ser tomados. Grandes riscos podem gerar grandes lucros em um curto prazo. Ao mesmo tempo, investimentos mais seguros trazem estabilidade e são capazes de gerar renda a longo prazo. Ou seja, uma questão de adequação.

Para o investidor conservador, há baixos riscos. Esse perfil foca na preservação do patrimônio, a segurança de manter tudo aquilo que já foi conquistado.

Já o investidor moderado é uma espécie de meio termo. Em termos mais direto, trata-se de alguém que corre riscos calculados, mas pode, em partes, abrir mão da segurança em alguns momentos.

Por fim, temos o investidor arrojado. Nesse caso, são pessoas que tendem a arriscar mais e possuem alto conhecimento de mercado. Por isso, podem ter grande perdas ou ganhos em um curto espaço de tempo.

Pense em seus objetivos

O segundo passo consiste em compreender seus objetivos. Parece simples, mas com tantas opções de investimento no mercado, é algo a ser considerado.

Alguns objetivos comuns de investimento são:

  • Planejar a aposentadoria
  • Garantir o futuro da família
  • Expandir o patrimônio
  • Mudar-se de país
  • Impulsionar um negócio
  • Contribuir para um mundo melhor
  • Ter um plano B
  • Variar os rendimentos.

Essa lista vai muito além disso. A verdade é que cada ser humano é único e seus objetivos são peculiares. Colocá-los em uma folha em branco pode ajudá-lo a definir a sua estratégia de investimento.

Mas não para por aí. Os objetivos citados podem ser muito genéricos. Portanto, é preciso transformá-los em ações diretas.

Uma técnica interessante que pode ajudá-lo ainda mais é denominada SMART (em inglês, inteligente). Segundo ela, basicamente há quatro elementos que precisam ser considerados para definir os objetivos:

  • Specific (específico): um objetivo deve ser claro
  • Measurable (mensurável): um objetivo deve ser medido por meio de números
  • Achievable (alcançável): um objetivo deve ser possível
  • Relevant (relevante): um objetivo deve ser importante para você
  • Time-based (prazo definido): um objetivo deve ter um tempo de execução.

Isso significa que, depois de obter as informações generalizadas, é preciso pensar em ações práticas.

Por exemplo, a aposentadoria. É um objetivo específico e relevante. Mas quanto você precisa para garanti-la? Qual o valor em rendimentos é necessário para alcançar a meta? E em quanto tempo?

Seguindo essa linha de raciocínio, é mais fácil vislumbrar tudo que é necessário para investir em Portugal.

Outra estratégia consiste em definir objetivos primários e secundários. Se o seu objetivo é garantir o futuro da família, por exemplo, pode ser interessante garantir uma segunda cidadania a princípio. Com as micro-metas delineadas, você saberá exatamente qual caminho trilhar para chegar ao tesouro no fim do arco-íris.

Defina seu capital de investimento

Definir o orçamento é outro passo importante para investir em Portugal.

Esse processo consiste em estabelecer os valores necessários para alcançar o objetivo. No entanto, esse processo é planejado, estipulado e varia em cada etapa do projeto.

Em um plano bem elaborado, há expectativas e variáveis. Apesar da complexidade, é importante para entender os gastos e ganhos que serão necessários ao longo da jornada.

Lembre-se que existem objetivos primários e secundários, então considere os valores em todos eles.

Pesquise sobre as áreas de investimento

Existem diversas áreas para investimento em Portugal. Mercado imobiliário, tecnologia, turismo, comércio eletrônico e franquias são apenas alguns exemplos já citados neste texto.

Outras opções são os fundos de capital, bolsa de valores, pesquisa, patrimônio cultural, entre outras.

A realidade é que todos eles possuem vantagens e desvantagens, mas é interessante conhecer cada área mais a fundo para garantir que os seus planos obtenham sucesso.

Fique atento às tendências de mercado

Apesar de o planejamento ser a etapa mais importante para avaliar investimentos, é preciso se manter atento às tendências do mercado. Afinal, há o momento certo para tudo.

Um bom exemplo disso é a situação econômica de Portugal. Há alguns anos, o país passou por uma crise. Justamente por sua recuperação econômica, tornou-se um local excelente para se investir.

O setor imobiliário possui preços abaixo da média europeia, e também um custo de vida inferior. Essas características aquecem o mercado, já que os preços são menores. Isso também aumenta os ganhos com locações e atrai visitantes e estrangeiros, o que fomenta a indústria do turismo. Com uma força de trabalho qualificada e mais barata, pode ser uma ótima ideia investir em negócios. Percebe como a lógica é sistemática?

Outro grande evento foi a crise do coronavírus. Se por um lado a pandemia afetou diretamente o setor de viagens, por outro fez com que a indústria do comércio eletrônico se fortalecesse.

Portanto, é sempre válido manter-se bem informado diante das variações do mercado.

Conte com o auxílio de especialistas

A boa notícia é que, apesar da quantidade de variáveis e oscilações, você não está sozinho.

Existem profissionais liberais e empresas que podem ajudá-lo a realizar o seu investimento em Portugal. No entanto, é preciso se manter atento às escolhas.

No mercado imobiliário, uma das opções favoritas dos investidores, é comum recorrer aos corretores de imóveis. No entanto, esse tipo de profissional trabalha com comissões e é orientado a vender a propriedade pelo valor mais alto possível.

“Então como proceder?”, você deve estar se perguntando. Por outro lado, existem os consultores imobiliários, como os da Goldcrest Advisors, por exemplo.

Essa figura tem como único objetivo auxiliar o comprador. Times de consultores são formados por especialistas no mercado local, bons negociadores e possuem todas as conexões necessárias para facilitar e agilizar o processo de compra.

Essa mesma lógica aplica-se para cada um dos segmentos. Por isso, é importante avaliar os interesses ocultos por detrás do negócio e escolher as pessoas certas para auxiliá-lo.

Investir em Portugal para brasileiros

Muitos brasileiros têm o desejo de investir em Portugal. Isso não é à toa.

Tudo começa pelo histórico dos países. Portugueses e brasileiros compartilham uma série de características, incluindo o idioma.

A hospitalidade, cultura e tradição são alguns aspectos que fazem com que a adaptação seja ágil. Ao optar por outros países, esse processo pode ser lento e, muitas vezes, inalcançável.

Outra boa razão é a economia. Portugal é um país estável, seguro, com setores de saúde e educação de primeiro mundo. Enquanto isso, o Brasil passa por momentos de instabilidade em boa parte desses setores.

Além disso, a abertura ao capital estrangeiro é mais um motivo para investir em Portugal. São benefícios fiscais, simplificação de processos e dinâmica de opções para a realização de investimentos, mesmo à distância.

Golden Visa Portugal

Os investimentos no país trazem ainda outro benefício: a possibilidade de adquirir um Golden Visa. Isso traz a oportunidade de conseguir a residência, residência permanente ou até mesmo a cidadania portuguesa.

Esse sistema visa estimular os investimentos em Portugal, o que estimula a economia local. Há uma série de razões pelas quais esse é um dos programas mais populares do mundo.

Um passaporte português é forte. Além de ter passe livre para viajar para qualquer país da Zona Schengen (o que inclui França, Itália, Holanda, Espanha, Grécia e mais 22 nações), permite a entrada em diversos outros locais do mundo.

Como se não bastasse, o Golden Visa Portugal se estende a familiares diretos, como cônjuge, pais e filhos do requerente principal.

Outra vantagem diz respeito ao prazo mínimo de estadia. Você só precisa passar 7 dias por ano em Portugal para manter o visto. Esse requisito normalmente é cumprido nas férias, e com muito prazer. O país tem um clima agradável, belas praias, povo hospitaleiro, diversidade de opções culturais e gastronomia apreciada no mundo todo.

O investimento mínimo para se qualificar para o Golden Visa é de € 280.000. Nesse caso, é preciso selecionar uma zona marcada para reabilitação ou imóveis com mais de 30 anos em áreas de baixa densidade. Para zonas urbanas, o valor sobe para € 350.000.

Já para propriedades em geral, o investimento mínimo é de € 400.000 em áreas de baixa densidade e € 500.000 nas demais localidades.

No entanto, também é possível adquirir o Golden Visa (também conhecido como Visto Gold) de outras maneiras:

  • Transferência de capital de € 1.000.000
  • Criação de 10 empregos full-time
  • Investimento na conservação do patrimônio nacional, artes e cultura de € 250.000
  • Investimento em pesquisa de € 350.000
  • Investimento em negócio existente de € 350.000
  • Investimento em fundos de capital privado de € 350.000.

Como você pode notar, são muitos os benefícios e opções de investimento que, como consequência, qualificam o investidor ao programa Golden Visa.

Esse é um importante aspecto que pode ser o diferencial na hora de tomar a sua decisão de investir em Portugal.

Tipos de investimentos qualificados para o Golden Visa

Abaixo, veja uma lista dos tipos de investimentos e seus respectivos valores para se qualificar para o Golden Visa.

Como criar um negócio em Portugal

Não há qualquer restrição para brasileiros que desejam investir em Portugal. De acordo com a lei nacional, não há discriminação baseada na nacionalidade do investidor.

Ou seja, as regras são muito similares para cidadãos portugueses e estrangeiros. Portanto, não há limitação no que tange aos lucros e dividendos. Há, assim, muitas opções para investidores individuais ou investimentos conjuntos.

Antes de mais nada, é preciso certificar-se que o nome da sua empresa é único. Para isso, consulte este link e realize uma consulta.

Mas, afinal, como criar um negócio em Portugal? É o que você verá no passo a passo a seguir:

1. Saiba quais são os requisitos legais

O primeiro passo consiste em conhecer os requisitos legais para abrir um negócio em Portugal.

Serão necessários alguns documentos:

  • Um cartão de residência: autorização do SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras). Cada caso possui suas próprias peculiaridades, então você pode verificar o site oficial para saber mais informações.
  • Um Número de Identificação Fiscal (NIF): identificação fiscal do requerente com o qual os impostos são declarados. Solicitado junto à Autoridade Tributária e Aduaneira do Governo de Portugal. Para isso, será necessário contar com um representante fiscal para assinar o documento.
  • Um número de seguro social (NISS): baseado na atividade comercial do negócio, é o documento com qual é pago o seguro social para funcionários. Para donos de negócios, é adquirido após a ativação por meio do portal de Finanças e Seguro Social.

Note que, para cada um deles, serão necessários algumas documentações específicas.

2. Abra sua conta bancária

Você também precisa abrir uma conta bancária em Portugal, por meio da qual serão realizados todos os pagamentos e transações envolvidos no processo.

Não se preocupe, pois os bancos locais são digitais. Isso quer dizer que o procedimento pode ser realizado de maneira online.

Será necessária a apresentação de alguns documentos, como o NIF, carteira de identidade e a prova de sua residência portuguesa.

3. Contrate os profissionais necessários

Durante a abertura da sua empresa, serão necessários alguns profissionais para ajudá-lo durante o processo.

Um contador é essencial, visto que ele pode ajudá-lo em questões financeiras e fiscais. Assim como um advogado, que ficará responsável por todas as questões legais envolvidas.

Existem, ainda, empresas que prestam consultoria e facilitam a abertura de negócios com um único ponto de contato.

4. Registre a sua empresa

Existem duas maneiras de registrar uma empresa em Portugal. Primeiro, através da internet. Nesse caso, é preciso acessar o e-Portugal, o portal de serviços públicos nacional. Nesse caso, leva até 2 dias úteis para a confirmação.

A outra maneira é presencialmente. Aqui é preciso ir até um dos balcões do Empresa na Hora. Você pode consultar os locais neste link e a abertura é realizada em menos de 1 hora. Caso não possa comparecer, é necessário indicar um representante legal.

No caso de filiais ou subsidiárias, é necessário registrá-las no IRN (Instituto dos Registros e do Notoriado) e no Escritório Comercial de Registros.

5. Pague as taxas

Antes de iniciar as operações, é preciso pagar alguns impostos relacionados à folha de pagamento. Isso inclui uma taxa de previdência social de 11% (paga pelo empregado) e uma de 23,75% (paga pela empresa).

Uma vez que comece a gerar lucros, é necessário pagar as taxas necessárias. As taxas são progressivas de acordo com os ganhos, mas normalmente giram entre 21% e 30%.

As taxas anuais de negócios em Portugal são válidas por um ano (de 1º de Janeiro a 31 de Dezembro).

Além disso, é válido lembrar do IVA, que é pago ao estado a cada três meses.

6. Contrate funcionários

Uma das grandes vantagens ao abrir uma empresa em Portugal é a mão-de-obra qualificada e de preço relativamente mais baixo que os demais países europeus.

Os empregadores são obrigados a pagar 14 meses de salário no país, além de pagar todas as taxas do seguro social. Além disso, são garantidos aos funcionários 14 feriados nacionais e férias remuneradas.

Vale lembrar que, ao criar um negócio em Portugal com 10 empregados em tempo integral, o empreendedor se qualifica para o Golden Visa.

7. Defina seu local de trabalho

Com todos os requisitos preenchidos, é hora de escolher o seu local de trabalho. Existem diversos imóveis comerciais e espaços de coworking nas principais cidades do país.

Além disso, como uma nação aberta à tecnologia, Portugal oferece um bom suporte ao trabalho remoto e o home office. Por conta disso, mesmo pessoas em outros países podem trabalhar na empresa, incluindo profissionais liberais, freelancers e empreendedores individuais.

Startup Visa Portugal

A preocupação do governo com empresas em estágio inicial e alto potencial de desenvolvimento é tanta que foi elaborado um visto de residência para empreendedores que investem no modelo: o Startup Visa Portugal.

Para participar, é necessário que o projeto tenha potencial para criação de empregos qualificados e atue na produção de bens e serviços inovadores.

O programa ocorre em duas fases principais:

  • Processo de certificação: aqui há uma avaliação para certificar que as incubadoras podem abrigar e apoiar empreendedores estrangeiros para criação de negócios voltados ao setor tecnológico.
  • Autorização de residência: a seguir, é recebida a autorização de residência.

Você pode se candidatar através deste link. Uma vez aprovado, serão solicitadas outras informações e os processos para instalação da startup.

Para receber a autorização de residência, há um pré-requisito: ter o potencial para gerar um volume de negócios de € 325.000 ao ano ou superior por um prazo de 5 anos.

Investimento em Pesquisa em Portugal

Outro tipo de investimento que é menos comum, mas também muito interessante, é no seguimento de pesquisas. Nesse caso, existem dois tipos: a científica e a tecnológica.

São divididos em várias áreas, como pesquisa industrial (voltada a melhorias em produtos, processos e sistemas), desenvolvimento tecnológico (focado em novas tecnologias), recursos humanos, proteção à propriedade intelectual e industrial, internacionalização, entre outras.

Portugal é um país aberto à inovação. Por conta disso, o governo também permite a qualificação ao Golden Visa por meio desse tipo de investimento a partir de € 350.000.

Investimento no Patrimônio Nacional

Portugal é um país que valoriza suas raízes. Não é à toa que é aberto aos investimentos no patrimônio nacional, que inclui produção artística, preservação ou conservação do patrimônio cultural.

Aqui, mais uma vez, há um incentivo: a possibilidade de adquirir o Golden Visa. No caso, para investimentos superiores a € 250.000.

Esses recursos podem ter distintos destinos. Por exemplo, a recuperação ou manutenção do patrimônio cultural nacional. São castelos, mosteiros, conventos e outros monumentos que remetem à tradição portuguesa.

Depois de realizado o investimento, é necessário solicitar um comprovante junto ao Gabinete de Estratégia, Planeamento e Avaliação Culturais para adquirir o visto de residência.

Investimento imobiliário em Portugal

Nos últimos anos, o mercado imobiliário se tornou a galinha dos ovos de ouro para investir em Portugal.

Muito disso se deve ao fato de incentivos governamentais, à recuperação econômico e o grande interesse do mercado estrangeiro no ramo.

Portugal possui um dos custos de vida mais baixos da Europa. Ao mesmo tempo, apresenta uma alta qualidade de vida para cidadãos e residentes.

Graças a isso, o fluxo de turistas e expatriados aumenta como uma onda. Isso gera ainda mais subsídios, interesse internacional e mão-de-obra qualificada, jovem e barata para o país.

E não faltam opções. Casas históricas e tradicionais, de praia, estabelecimentos comerciais, resorts de luxo, moradias históricas, loteamentos e apartamentos modernos são apenas alguns exemplos que ilustram a dinâmica do mercado imobiliário português.

Com isso, os rendimentos com aluguéis e ganhos com revenda se tornou uma excelente alternativa para investidores que desejam aumentar seus ganhos.

O preço dos imóveis em Portugal

No primeiro trimestre de 2019, o preço dos imóveis em Portugal aumentou 9,2%. O que foi uma ótima notícia para os investidores, que viram seus lucros dispararam em um curto período de tempo.

Apesar disso, o país ainda é um ótimo local para investir em imóveis, visto que as propriedades em Lisboa, Porto ainda são baixos quando comparados a outras localidades de igual importância na Europa.

Na capital, por exemplo, o preço médio das transações imobiliárias é de € 3482,00 por m², valor muito inferior a Paris, cujo valor gira em torno de € 12910,00 por m².

Já na bela região de Algarve, uma das preferidas dos investidores, o preço médio cai para € 2168,00 em Portimão e € 3279,00 em Vilamoura.

Ao mesmo tempo, Porto se destaca pelo baixo valor médio em áreas emergentes, alcançando o baixo número de € 1000,00 por m².

Esses são apenas alguns exemplos. Existem variações de propriedades em muitos outros lugares de Portugal, o que revela toda a atmosfera dinâmica do mercado imobiliário local.

Com relação aos rendimentos com aluguel, há alguns fatores que contribuem para o aquecimento do mercado.

A indústria turística emergente, o crescimento do uso de aplicativos de locação como o Airbnb e o êxodo de estrangeiros para o país são bons indicadores. Isso faz com que o retorno sobre investimentos para aluguel a curto prazo seja um dos maiores em nível europeu.

Outro elemento que contribui para a popularidade dos investimentos imobiliários em Portugal é o fato de que também é possível se qualificar para o Golden Visa. Ou seja, além de realizar um bom negócio, o investidor pode receber a residência, a residência permanente e a cidadania portuguesa, desde que mantenha a aplicação durante algum tempo.

Vale lembrar que é possível administrar os imóveis e manter a residência mesmo sem morar no país, sendo necessário permanecer no território por apenas 7 dias por ano, em média.

Como investir em imóveis em Portugal

Apesar dos muitos benefícios adquiridos ao investir em imóveis em Portugal, essa não é uma tarefa tão simples.

Os processos podem ser complexos, principalmente quando realizados à distância. Questões jurídicas, barreiras linguísticas, pré-requisitos, documentos, pesquisa e a contratação de profissionais para exercer diferentes atividades são apenas alguns exemplos das ações necessárias.

Junta-se a isso o fato de que não há um banco de dados informativo com detalhes de cada propriedade. Eles normalmente são encontrados na internet, mas os dados costumam estar desatualizados ou contém erros.

Quando os investidores percebem isso, geralmente recorrem a corretores e imobiliárias. É aí que caem em outro problema. Enquanto os primeiros trabalham com comissões, os segundos ganham com a venda do imóvel. Com isso, ambos tentam realizar a venda pelo maior preço possível e a qualquer custo.

Nesse caso, a recomendação é apostar em empresas que facilitam a vida do investidor, como a Goldcrest Advisers, que caminha lado a lado do início ao fim da jornada. A figura do consultor atua de maneira totalmente imparcial, sem ganhos relacionados à negociação.

Para que você reconheça o caminho, a seguir veja um passo a passo para investir em imóveis em Portugal.

1. Planejamento

Todo bom negócio começa com o planejamento. Aqui não é diferente.

Na primeira etapa, é preciso estabelecer os objetivos com o negócio. Algumas perguntas-chave devem ser feitas nesse passo, como:

  • Qual é o orçamento para a compra do imóvel?
  • Quais são os ganhos esperados com os rendimentos?
  • O imóvel será utilizado para aluguéis de curto ou longo prazo?
  • Você deseja construir uma propriedade ou comprá-la pronta?
  • Serão necessários gastos com reforma?
  • Quais são as características do lugar que você deseja investir?

Observe que, ao responder algumas dessas questões, será possível realizar um planejamento e você saberá exatamente que tipo de imóvel procurar.

Algumas delas não poderão ser respondidas de imediato. Mas não se preocupe. As demais etapas podem ajudá-lo nessa tarefa.

2. Pesquisa de propriedade

Encontrar o imóvel ideal em Portugal pode ser uma tarefa árdua. Afinal, são muitas variáveis existentes: vizinhança, preço, valorização, localização, situação jurídica, entre muitas outras.

Boa parte das pesquisas por propriedades em Portugal é realizada através da internet, em sites como OLX e Facebook. No entanto, essas são fontes de pesquisa duvidosas.

Nessa etapa as questões jurídicas começam a surgir. Muitos imóveis têm complicações legais por detrás dos panos, o que pode trazer problemas ao investidor.

Por conta dessas barreiras, é recomendada a utilização de empresas e profissionais especialistas no mercado imobiliário local. Os consultores têm vasto conhecimento sobre todos os aspectos, incluindo acesso a imóveis que estão fora do mercado. Eles podem elaborar um portifólio com detalhes e especificações que facilitarão a sua tomada de decisão.

Além disso, são muito úteis na etapa do planejamento. Com respostas na ponta da língua e insights de inteligência de mercado, você pode poupar tempo e dinheiro.

3. Visitação

É chegada a hora de visitar a propriedade. Para investidores estrangeiros, isso pode ser um problema.

Nesse caso, é necessário indicar um representante legal de confiança, que faz todo o serviço de avaliação do imóvel e informa ao investidor sobre as condições e características.

Caso você possa comparecer à visita, é indicada a presença de um especialista. Essa figura pode auxiliá-lo na verificação para avaliar se a residência se encaixa aos objetivos estabelecidos no planejamento.

4. Negociação

Uma vez escolhida a propriedade, é preciso negociar antes de bater o martelo. Aqui é importante ter o máximo de informações sobre a mesa, já que se trata de um alto investimento.

Detalhes como o valor médio da propriedade no local, situação legal e insights de mercado são essenciais para garantir uma negociação vantajosa.

5. Procedimentos legais e documentação

Depois de fechado o negócio, chegamos à etapa dos procedimentos legais. Caso você esteja negociando remotamente, será necessário indicar um representante legal.

É necessário contar com um advogado para realizar e verificar os contratos. Outros profissionais envolvidos são agrimensores, escrivães, contadores e consultores imobiliários, essenciais para a finalização da compra.

Alguns documentos exigidos aqui são:

  • NIF (Número de Identificação Fiscal)
  • Número de conta em um banco português
  • Identidade ou passaporte
  • Contrato de pré-venda (CPCV)
  • Escritura.

Dependendo das circunstâncias, outros documentos podem ser requisitados.

No caso de financiamentos, há requisitos adicionais. Nesse caso, os brasileiros normalmente podem financiar até 60% do valor total com juros de 1% nos primeiros quatro anos e 1,4% a partir desse período. O prazo máximo é de 35 anos.

6. Pagamento de taxas

Também será necessário pagar as taxas de transação. As principais estão listadas a seguir:

  • Imposto Municipal sobre Transmissões ou Taxa de Transferência – IMT (de 2% a 8%)
  • Imposto de Selo – IS (0,8%)
  • Imposto Municipal sobre Imóveis – IMI (de 0,3% a 0,8%)
  • Taxas de cartório, administrativas e de registro (de 1,5% a 2,5%)
  • Taxas legais (de 1% a 2%).
7. Adequação do imóvel

O seu imóvel provavelmente não será entregue pronto para morar ou passar um tempo. Por isso, é necessário passar por uma fase de preparação.

Você precisará mobiliá-lo, decorá-lo e realizar as reformas que desejar. Para isso, podem ser necessários arquitetos, profissionais de construção, designers de interiores e paisagistas.

Outro requisito essencial diz respeito aos serviços básicos. As funções que dizem respeito a internet, luz, telefone e água devem estar em pleno funcionamento.

8. Administração e manutenção da propriedade

Caso você utilize o imóvel para aluguel, é preciso garantir que tudo esteja nos conformes para receber hóspedes e inquilinos.

Nesse caso, é preciso manter a casa em ordem e contar com profissionais de limpeza, jardinagem, eletricistas, encanadores e outros serviços.

Além disso, administrar o aluguel das casas à distância pode ser problemático. Além de resolver problemas eventuais, é preciso verificar o estado da propriedade após a permanência dos clientes.

Como visto, investir em imóveis exige dedicação e bastante esforço. Por isso, a recomendação é contar com uma empresa que pode lidar com todas as etapas do processo, incluindo o gerenciamento no pós-venda.

Empresas como a Goldcrest são ideais para investidores, já que podem executar essas tarefas com agilidade. Se tiver interesse em adquirir um serviço completo de consultoria imobiliária, entre em contato.

Investimento em reabilitação

Outra característica importante do mercado imobiliário português é o incentivo ao investimento em propriedades antigas ou em áreas marcadas para reabilitação urbana.

Nesses locais, o preço dos imóveis cai consideravelmente. Além disso, é possível se qualificar para o Golden Visa com investimentos a partir de € 280.000 em áreas de baixa densidade e € 350.000 em áreas urbanas.

Investimento em imóveis novos

No caso dos imóveis novos, o valor para se qualificar para o Golden Visa sobe. Assim, o investimento mínimo vai para € 400.000 em áreas de baixa densidade e € 500.000 em zonas centrais.

Melhores cidades para estrangeiros em Portugal

Como país com economia crescente, segurança e qualidade de vida, Portugal vem se tornando alvo de diversos investidores do mercado imobiliário.

Por isso, é interessante conhecer os locais preferidos dos estrangeiros e expatriados, seja para visitar ou morar em Portugal.

Algumas das cidades mais requisitadas são:

  • Lisboa
  • Porto
  • Coimbra
  • Braga
  • Faro
  • Évora.

Investimento em Fundos de Investimento

Outro tipo de investimento que pode trazer o benefício do Golden Visa é em fundos de investimento. Nesse caso, o valor mínimo é de € 350.000.

Embora seja um formato menos conhecido, tem suas vantagens. O fundo de investimento serve para captar recursos através da disponibilização de cotas. Ou seja, participações na empresa.

Em termos mais simples, significa capitalizar sobre pequenas e médias empresas com potencial de valorização ao adquirir fatias de suas atividades financeiras.

Por conta disso, é um dos modelos que mais exigem análise antes de realizar a aplicação. Ele é voltado a investidores arrojados, já que existe tanto a possibilidade de grandes ganhos quanto perdas.

Os fundos de investimento apresentam variadas opções. Por exemplo:

  • Fundos imobiliários (imóveis)
  • Fundos mobiliários (ações)
  • Fundos de capital de risco (empresas).

Esse sistema é ideal para investidores que desejam diversificar o patrimônio. Outra vantagem é a relativa simplicidade de realizá-los, além da ausência de custos indiretos.

Investimento em Negócio Existente

Por fim, temos o investimento em negócio existente em Portugal. Basicamente, é quando os recursos são destinados ao desenvolvimento de uma empresa registrada no país.

Para se qualificar para o Golden Visa nesse modelo, é preciso investir no mínimo € 350.000. Além disso, ele deve gerar pelo menos cinco empregos em tempo integral pelo período de três anos.

Existem muitos negócios rentáveis em Portugal, tanto em grandes centros urbanos quanto em cidades menores. Afora isso, Portugal é o berço de diversas startups e empresas embrionárias, então opções não faltam.

Afinal, qual o melhor investimento em Portugal?

Como em qualquer outro país, é difícil cravar qual é melhor negócio para investir em Portugal.

São muitas as variáveis envolvidas, tanto nos setores, quanto nas aplicações e condições e objetivos do investidor.

Porém, os segmentos que parecem mais promissores são os do mercado imobiliário, turismo e tecnologia, que ao que tudo indicam vão sobreviver e se desenvolver após a crise de coronavírus.

Um fator muito importante a se avaliar é a possibilidade de adquirir o Golden Visa. Por meio dele, é possível adquirir a residência, o que é um grande diferencial. Após 5 anos, é possível solicitar a residência permanente e a cidadania para o investidor e sua família, uma verdadeira garantia para o futuro.

Se você tem interesse em saber mais sobre o programa Golden Visa Portugal, entre em contato conosco. Nossos especialistas estão a postos para tirar todas as suas dúvidas.

Perguntas frequentes sobre investir em Portugal

A seguir, veja respostas para algumas dúvidas mais comuns sobre investimentos em Portugal.

Como funciona o investimento em Portugal para estrangeiros?

O investimento para estrangeiros em Portugal funciona de maneira similar a um cidadão português. A diferença reside, principalmente, nos benefícios.

O investidor estrangeiro em Portugal pode obter uma autorização de residência (ARI) temporária. Para mantê-lo, é necessário permanecer no país por um período de 7 dias em média.

Para isso, existem diversas modalidades de investimento, como a transferência de capital, criação de empregos, mercado imobiliário, pesquisa, patrimônio cultural, negócios locais ou fundos de investimento. O valor para se qualificar para o Golden Visa se inicia em € 280.000 e vai até € 1.000.000.

Quais são as melhores aplicações financeiras em Portugal?

Existem diversos modelos de aplicações financeiras em Portugal. As principais são imóveis, negócios e fundos de investimento.

O país tem um mercado dinâmico e aberto, inclusive, ao capital estrangeiro. Portanto, os processos são simplificados e existem incentivos fiscais.

Como obter cidadania portuguesa comprando imóvel?

Para obter a cidadania portuguesa comprando imóveis é necessário se qualificar para o programa Golden Visa. Existem diferentes valores e modelos de investimento que variam entre € 280.000 e € 1.000.000.

Como criar um fundo de investimento em Portugal?

Para criar um bom fundo de investimento em Portugal é necessário, antes de tudo, calcular a sua tolerância ao risco.

A seguir, é necessário encontrar o melhor modelo de fundo de investimento diante da sua perspectiva de retorno. Após a aplicação, é importante acompanhar seu desenvolvimento para tomar decisões certeiras no momento correto.

Como investir na bolsa em Portugal?

A bolsa de valores de Portugal é a Euronext Lisboa. No site oficial estão cotadas diversas ações e seus respectivos preços.

A principal maneira para investir na bolsa é por meio da internet. No Brasil, diversos bancos realizam as operações, incluindo alguns dos principais como Banco do Brasil, Bradesco, Santander, Itaú e HSBC.

Também há a opção das corretoras de bolsa, que são empresas que prestam esse tipo de serviço.

É possível investir em Portugal à distância?

É possível investir em Portugal à distância de diversas maneiras, incluindo fundos de investimento e bolsa de valores.

O programa de e-residency permite até mesmo lançar e gerir uma empresa em Portugal, mesmo em outros lugares do mundo.

Vale a pena investir em Portugal?

Portugal é um país de economia ascendente e diversas oportunidades para investidores. Portanto, é alvo de muitos investimentos todos os anos.

No entanto, é recomendada a assessoria especializada para evitar problemas e minimizar os erros. Além, é claro, de realizar investimentos acertados que não trarão prejuízos.

Como funciona a consultoria de imóveis em Portugal?

Diferentemente das imobiliárias, as consultorias de imóveis em Portugal têm como foco auxiliar o comprador.

Desse modo, não recebem comissões ou lucros sobre as vendas, oferecendo um serviço pesquisa, avalia e negocia em nome do investidor.

Existe uma bolha imobiliária em Portugal?

Apesar da rápida valorização do mercado imobiliário em Portugal, o mercado apenas retornou aos níveis que precederam a crise. Portanto, os investidores que desejam adquirir imóveis no país não precisam se preocupar, já que a tendência é que o desenvolvimento do setor continue em alta.

Como abrir conta em um banco em Portugal?

Portugal não oferece grande resistência para abertura de contas em bancos locais. É possível realizar a ação mesmo morando no Brasil.

Para isso, será necessário um Número de Identificação Fiscal (NIF). Alguns bancos conseguem registrar um número provisório.

Serão exigidos uma série de documentos, como passaporte, cartão de contribuinte e documento de identificação.

Além disso, é necessário um depósito inicial com valores entre € 100,00 e € 500,00.

Global Citizen Solutions - Registro AMI 17987

FAQ: Perguntas frequentes sobre investir em Portugal

Como brasileiro pode investir em Portugal?

O governo português é aberto ao capital estrangeiro. Por isso, oferecem facilidade e oportunidades diversas para investimentos internacionais.

Qual é o melhor negócio para abrir em Portugal?

Algumas das melhores opções incluem o setor imobiliário, turismo e tecnologia.

Como investir em Portugal para obter cidadania?

Para investir em negócios e obter a cidadania em Portugal, é preciso realizar um investimento mínimo de Є 280.000, o valor mais baixo requerido para se qualificar para o Golden Visa. Além disso, é preciso mantê-lo por pelo menos 5 anos.


Nosso compromisso com você

Na Global Citizen Solutions, nos preocupamos com você. Oferecemos um serviço especializado para cada um de nossos clientes. Ao longo dos anos, adquirimos experiência, networking e conhecimento de mercado. Por isso, cada ação é baseada em dados que visam auxiliar na escolha do investimento correto.

Patricia signature